Blog Shen

Da essência à integralidade !

Por Susilaine Moraes Aquino

Diagnóstico em Medicina Chinesa por meio do interrogatório da transpiração

A transpiração é líquido essencial formado pela destilação dos líquidos orgânicos através do yang Qi. Na Medicina Chinesa, ela desempenha papel importante no diagnóstico, o que permite identificar tanto ataques externos como doenças internas.

Vamos abordar os principais pontos relacionados ao interrogatório sobre a transpiração:

a) Transpiração em doenças superficiais do corpo: A presença ou ausência de transpiração é útil para determinar a natureza do Qi perverso externo e o estado do Qi correto. A ausência de transpiração em síndrome superficial indica ataque de frio externo, onde o frio contrai os espaços subcutâneos e fecha os poros. Por outro lado, a presença de transpiração indica ataque de vento externo. Outras síndromes superficiais, como vento-calor externo ou deficiência do yang protetor (Wei yang), também podem ser manifestadas por transpiração, pois tanto o vento quanto o calor podem relaxar os espaços subcutâneos e permitir a saída de suor.

b) Transpiração espontânea: É quando a pessoa transpira frequentemente, especialmente após movimentos físicos. Isso pode ser causado por deficiência do Qi, especialmente do yang protetor, que resulta em sinais como astenia mental, fraqueza e respiração curta.

c) Transpiração durante o sono: Esse tipo de transpiração noturna cessa ao acordar. É geralmente devido a deficiência do Yin e de excesso de Yang, que resulta em calor excessivo que faz vaporizar os líquidos Yin e causar suor. Outros sinais que acompanham são insônia, rosto vermelho, boca e garganta secas, calor nas palmas das mãos e solas dos pés, além de opressão e calor no peito.

d) Transpiração profusa: Caracteriza-se por grande quantidade de suor e líquidos orgânicos que escorrem abundantemente. Esse tipo de transpiração, juntamente com polipnéia (respiração acelerada e ofegante), astenia mental, membros extremamente frios e pulso frágil prestes a parar, pode indicar fase crítica em que o yang Qi está quase esgotado, e os líquidos são liberados após o Qi.

e) Transpiração com calafrios: É comum a doença começar com calafrios e a transpiração seguir. Esse é ponto crucial na luta entre o fator patogênico (perverso) e o fator correto. Se a febre diminui com a transpiração e o pulso se acalma, o prognóstico é favorável, indica que o fator patogênico foi eliminado e o fator correto se fortalece. Por outro lado, se a transpiração for acompanhada de agitação e aumento da frequência do pulso, o prognóstico é desfavorável, indica que o fator patogênico vence e enfraquece o fator correto.

f) Transpiração limitada à cabeça: Esse tipo de transpiração pode indicar diferentes estados:

  • Calor patogênico no aquecedor superior, acompanhado de febre e sede sem agitação. A língua pode apresentar revestimento amarelo, e o pulso pode ser superficial e precipitado.
  • Calor úmido no aquecedor mediano, caracterizado por sensação de peso e fadiga no corpo, língua amarela e gordurosa, e oligúria.
  • Em casos graves ou em idosos dispnéicos, pode ser um sintoma de vazio.
  • Na fase terminal de doenças graves, uma transpiração súbita e abundante nas têmporas pode indicar um estado crítico em que o Yang vazio está escapando e o Yin vazio não consegue se ligar ao Yang, levando à perda dos líquidos do Yin após o Qi.

g) Transpiração em uma parte do corpo: Quando a transpiração está limitada a parte específica do corpo, como esquerda ou direita, parte superior ou inferior, pode ser causada por diferentes fatores, como mucosidades do vento ou vento úmido que obstrui os meridianos, desequilíbrio entre Yin e Wei, ou falta de harmonia entre Qi e Xue. A cessação da transpiração em parte do corpo pode ser sinal de ressecamento parcial do corpo, como na hemiplegia.

h) Transpiração fria ou quente: As transpirações frias são geralmente causadas por vazio de Yang ou insuficiência do Qi, que resulta em relaxamento e fraqueza nos músculos. Já os suores quentes são causados pelo calor do vento externo ou por calor interno que estimula a produção de suor.

Neste artigo, abordamos os principais pontos do diagnóstico em Medicina Chinesa por meio do interrogatório da transpiração. É importante lembrar que a transpiração é apenas um dos aspectos considerados no diagnóstico integrativo dessa prática milenar e que a avaliação deve ser realizada por profissional devidamente capacitado na área. Consulte profissional da saúde especializado em Medicina Chinesa para análise precisa e tratamento adequado às suas necessidades.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AUTEROCHE, B e NAVAILH, P. O diagnóstico na Medicina Chinesa. São Paulo: Andrei, 1992.

BING, Wang. Princípios de medicina interna do Imperador Amarelo. Tradução: José Ricardo Amaral de Souza Cruz. São Paulo: Ícone, 2001.

ETOSP. Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Acupuntura. São Paulo: ETOSP, 2009, vol.1.

HOLMES, David S. Psicologia dos transtornos mentais. Tradução: Sandra Costa.

2.ed. Porto Alegre: Artmed, 1997.

KWANG, Wo Tou. Mapa dos 5 elementos. Ribeirão Preto: Center TAO, s.d.

LEE, Eu Won. Acupuntura constitucional universal. São Paulo: Ícone, 2002.

MACIOCIA, Giovanni. A prática da medicina chinesa: tratamento das doenças com acupuntura e ervas chinesas. Tradução: Ednéa Iara de Souza Martins. 2.ed. São Paulo: Roca, 2010.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *