Blog Shen

Da essência à integralidade !

Por Susilaine Moraes Aquino

“Técnicas de Diagnóstico em Medicina Chinesa: Interrogatório da Dor”

Na Medicina Chinesa, o diagnóstico é parte crucial do tratamento, e técnica valiosa empregada é o interrogatório da dor. Nesse método, os profissionais de saúde coletam informações vitais diretamente dos pacientes, por meio de perguntas detalhadas sobre suas experiências com dor.

O interrogatório da dor é abordagem sistemática que permite aos terapeutas obterem visão profunda do quadro clínico do paciente. Ao perguntar especificamente sobre a localização, intensidade, padrão de ocorrência e fatores agravantes ou atenuantes da dor, é possível identificar padrões únicos que podem estar relacionados a desequilíbrios energéticos no corpo.

Essas informações são combinadas com outras técnicas de diagnóstico, como a observação da língua e do pulso, palpação, inspeção corporal, eletrodiagnóstico Ryodoraku, entre outros, para chegar a diagnóstico preciso. Com base nos padrões identificados, o profissional de Medicina Chinesa pode formular plano de tratamento personalizado que visa restaurar o equilíbrio energético do paciente e aliviar a dor de forma eficaz.

Através do interrogatório da dor, os acupunturistas podem compreender melhor as causas subjacentes do desconforto do paciente, e tratar não apenas os sintomas, mas também a origem do problema. Essa abordagem integrativa é uma das razões pelas quais a Medicina Chinesa tem sido cada vez mais valorizada como complemento valioso aos cuidados de saúde convencionais em todo o mundo.

Portanto, o interrogatório da dor continua ferramenta essencial na prática da Medicina Chinesa, ao fornecer informações fundamentais para o diagnóstico preciso e com isso possibilitar tratamentos mais eficientes e personalizados. É técnica que demonstra o conhecimento profundo e a abordagem detalhada da medicina tradicional chinesa, destaca sua relevância na busca contínua por uma saúde melhor e equilibrada.

Diagnóstico das dores na Medicina Chinesa:

Cefaleias

As dores de cabeça são associadas à reunião de todas as energias yang no cérebro, que é considerado o “mar da medula”. A cabeça possui conexões com os 12 meridianos e os 8 meridianos extraordinários. As cefaleias de plenitude ocorrem devido à obstrução e perturbação do Yang puro (Qing Yang) causada pelas cinco energias perversas externas (vento, frio, canícula, umidade, fogo) e pelas mucosidades impuras, bem como agregados de sangue.

Já as cefaleias de sintoma vazio acontecem devido à diminuição de Qi, sangue e líquidos orgânicos, que impedem que a cabeça seja devidamente alimentada. A localização da dor ao longo do trajeto de um meridiano ou ramo colateral ajudará a determinar o meridiano envolvido.

Dores Torácicas

As doenças relacionadas ao coração (C) e ao pulmão (P) podem causar dores torácicas devido à insuficiência de Yang Qi, ataque do frio, contração, obstrução por acúmulo de sangue ou impureza de mucosidades, além de danos aos vasos causados pelo calor.

A depender dos sintomas, a dor no peito pode ser atribuída a diferentes fatores:

  • Opressão no peito com sensação de bolas (Pi) indica acúmulo de mucosidades no meridiano Tai Yin (E).
  • Peito inchado com dor transfixiante, aliviada por eructações, sugere estagnação do Qi.
  • Peito dolorido acompanhado de expectoração de sangue purulento indica abcesso pulmonar.
  • Peito dolorido, polipneia febril e expectoração de mucosidades com cor de ferrugem podem ser sintomas de calor no coração (pneumonia).
  • Peito dolorido com febre cíclica, transpiração noturna e sangue nas expectorações pode ser um caso de tuberculose (Fei Lao).
  • Dor intensa nas costas ou no peito, acompanhada de dispneia e tosse produtiva, corresponde a um bloqueio de Qi e impurezas mucósicas no meridiano do coração (C), causando um Bi do tórax (Xiong Bi).
  • Opressão frontal do peito, dor aguda e constritiva, palidez e transpiração fria sugerem uma verdadeira dor cardíaca.

Dores Costais e nos Flancos

Os meridianos do Fígado (F) e da Vesícula Biliar (VB) circulam pelos flancos. Doenças como estagnação de Qi do F, fogo congestionado no F ou VB e calor úmido estagnado nessas áreas podem causar dores.

Dores Epigástricas

Dores na região epigástrica podem ser causadas por doenças relacionadas a frio perverso agride o Estômago (E), Qi do Fígado (F) ataca o E ou estagnação de alimentos no E.

Dores Abdominais

O abdômen é dividido em três partes: o grande ventre (correspondente ao Baço e E), o pequeno ventre (correspondente aos Rins, Bexiga, Intestino Grosso, Intestino Delgado e útero) e os pontos do pequeno ventre, percorridos pelos meridianos do Fígado (F). A localização da dor no abdômen ajuda a identificar o órgão envolvido.

As dores abdominais podem ser classificadas como de plenitude ou vazio:

  • Plenitude: ocorre devido a coagulação pelo frio, agregação pelo calor, estagnação de Qi, acúmulo de sangue, estagnação de alimentos ou presença de vermes.
  • Vazio: resulta de deficiência de Qi, sangue ou frio.

Dores Lombares

As dores lombares geralmente estão associadas a problemas renais. A obstrução causada pela falta de calor, nutrição e deficiência do Jing Qi dos Rins resulta em sintomas de vazio.

Dores nos Membros

Dores nas articulações, músculos ou canais (Jing Luo) dos membros são frequentemente causadas pela penetração de vento, frio e umidade, que bloqueiam a circulação de Qi e sangue. Essas dores também podem ser causadas pela fraqueza do Baço e do Estômago, que afeta a distribuição do Jing Qi do alimento para as extremidades. O vazio dos Rins pode levar a dores localizadas no calcanhar ou irradiar dos calcanhares para as costas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AUTEROCHE, B e NAVAILH, P. O diagnóstico na Medicina Chinesa. São Paulo: Andrei, 1992.

BING, Wang. Princípios de medicina interna do Imperador Amarelo. Tradução: José Ricardo Amaral de Souza Cruz. São Paulo: Ícone, 2001.

ETOSP. Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Acupuntura. São Paulo: ETOSP, 2009, vol.1.

HOLMES, David S. Psicologia dos transtornos mentais. Tradução: Sandra Costa.

2.ed. Porto Alegre: Artmed, 1997.

KWANG, Wo Tou. Mapa dos 5 elementos. Ribeirão Preto: Center TAO, s.d.

LEE, Eu Won. Acupuntura constitucional universal. São Paulo: Ícone, 2002.

MACIOCIA, Giovanni. A prática da medicina chinesa: tratamento das doenças com acupuntura e ervas chinesas. Tradução: Ednéa Iara de Souza Martins. 2.ed. São Paulo: Roca, 2010.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *