Blog Shen

Da essência à integralidade !

Agaricus muscarius

Por Susilaine Moraes Aquino

Agaricus muscarius é medicamento homeopático derivado do fungo Amanita muscaria, que é conhecido por seus efeitos psicoativos e potencialmente tóxicos quando consumido em sua forma natural. Na homeopatia, a substância original é altamente diluída e dinamizada, acreditando-se que a energia vital da substância seja capturada, tornando-a segura para o uso terapêutico.

Aqui estão as características técnicas do medicamento homeopático Agaricus muscarius:

Nome Científico: Agaricus muscarius.

Preparação: O fungo é colhido e triturado em uma solução de álcool e água para criar uma tintura-mãe. Em seguida, essa tintura-mãe é repetidamente diluída e agitada vigorosamente (dinamizada) em uma série de etapas, produzindo várias potências homeopáticas, como 6C, 30C, 200C, etc. Cada diluição é realizada em proporção de 1:100, onde 1 parte da tintura-mãe é misturada com 99 partes de álcool e água.

Potências: As potências homeopáticas mais comuns de Agaricus muscarius são 6C e 30C, mas outras potências podem ser usadas dependendo dos sintomas e da orientação do homeopata.

Mecanismo de Ação: De acordo com os princípios da homeopatia, quanto mais diluída a substância, maior a sua capacidade de atuar no corpo a nível energético, estimulando a energia vital do organismo a reagir contra os sintomas semelhantes aos da substância original.

Indicações Clínicas: Agaricus muscarius é frequentemente usado para tratar sintomas como tremores, movimentos musculares involuntários, formigamento, sensação de frio, dores musculares e articulares, irritabilidade, confusão mental e distúrbios oculares, entre outros.

Segurança: Devido às diluições extremamente altas, os medicamentos homeopáticos são considerados seguros e não apresentam os riscos associados à substância original. Não há concentração significativa de substância ativa no medicamento final.

Individualização: A homeopatia enfatiza a avaliação individualizada de cada paciente e o tratamento é baseado na correspondência precisa dos sintomas do paciente aos sintomas conhecidos do medicamento. Portanto, a seleção da potência e do medicamento específico depende da avaliação detalhada do homeopata.

É fundamental discutir qualquer tratamento homeopático com profissional de saúde licenciado e manter a orientação e supervisão adequadas ao usar Agaricus muscarius ou qualquer outro medicamento homeopático.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LATHOUD, J.A. Estudos de Matéria Médica Homeopática, 3ª ed. São Paulo: Editora Organon, 2021.

RIBEIRO FILHO, Ariovaldo. Repertório de Homeopatia, 2ª ed. 4ª reimpressão. São Paulo: Editora Organon, 2022.

HOMEOBRAS – Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ciência da Homeopatia.

FAVILLA, José Paulo – SIHORE MAX V7.0 – Sistema de Homeopatia Repertorial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *