Instituto Shen

Consciência Negra

O termo – Consciência Negra – foi adotado a partir da década de 1970, no Brasil, em decorrência das ações dos movimentos sociais pela igualdade racial. Apesar de todos os esforços coletivos para a desconstrução do preconceito e da ideia absurda de que a cor da pele de uma pessoa deve lhe conferir, ou não, privilégios, o que conseguimos foi apenas a supressão da expressão do preconceito, mas nunca do preconceito em si.
Pior que isso, nos últimos três anos, a nossa sociedade parece ter retrocedido aos tempos do colonialismo. As pessoas pretas estão sofrendo violência e perseguição policial sem qualquer fato que a justifique.
Ainda hoje, os espaços de poder social são privilégios e poder concedidos principalmente a homens héteros, cisgênero, brancos e ricos.
As relações sociais continuam desiguais. A fim de corrigir essa distorção, muitos psicólogos, artistas, poetas, escritores, compositores, professores, filósofos e cidadãos mais conscientes e lúcidos, se dedicam a promover ações para que a sociedade evolua.
O termo negritude, criado pelo escritor Aimé Césaire, denomina o movimento cultural que surge para unificar o povo preto em torno da luta contra a escravidão, e seus indesejáveis desdobramentos mesmo após a abolição da escravatura.
Necessário implementar ainda mais iniciativas que pretendam corrigir injustiça social, já que as pessoas pretas não ocupam proporcionalmente lugares de destaque na sociedade.
A consciência negra deve reconhecer o valor da cultura e das pessoas pretas na sociedade, da igualdade entre todos os povos. E que as pessoas brancas devem repensar suas práticas.
A criação da consciência negra na pessoa deve fazê-la perceber que não está errada por ser quem é de fato. E sim, que a sociedade é quem erra por discriminá-la.
Necessário desconstruir o papel de subalternidade, levianamente atribuído à população preta e, em seu lugar, destacar os empoderados para que inspirem outros pretos e pretas.
Fonte: PORFÍRIO, Francisco. “Consciência negra”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/consciencia-negra.htm. Acesso em 15 de novembro de 2021.


Só há uma raça, a raça humana!

Leave a Comment